Compartilhe esse post

Futuro da advocacia: saiba quais as tendências para 2024 e como se antecipar

Explore o futuro do Direito em 2024. Descubra as tendências e aprenda estratégias para se antecipar e se destacar no cenário jurídico

2024 chegou e com ele as especulações e, por que não dizer, previsões das principais tendências na advocacia chegam junto. Afinal, o Direito não é imune a todas as transformações que o mundo vem enfrentando nos últimos anos.

Aliás, uma transformação recém chegada, em 2023, deve impactar e muito o Direito em 2024. É impossível não falar em tendências da advocacia sem tocar no assunto da Inteligência Artificial. Ela povoou o imaginário de praticamente todas as áreas do conhecimento e com o Direito não é diferente. 

E com o uso e aplicação da IA em diversas profissões e setores da economia, problemas devem surgir. Problemas legais que demandarão atenção e familiaridade do advogado com o tema. Manipulação de provas e regulamentações específicas estão na pauta do que será tendência em 2024, no Direito.

Por outro lado, existem correntes de pensamento que apontam a valorização do ser humano, do profissional, como uma das principais tendências na advocacia em 2024. Com tanta tecnologia ao alcance de todos, um bom advogado deve fazer a diferença. 

E é por isso que vamos trazer as duas abordagens a partir de agora.

Inteligência Artificial

Como já dito antes, não existe mais espaço, em nenhuma área do conhecimento, para projetar o futuro sem ter o uso da IA como ponto de atenção. Ou o advogado entende o papel dessa tecnologia e como pode tirar proveito dela, ou então pode acabar ficando para trás.

E é preciso ter cuidado, pois utilizar Inteligência Artificial em seu dia a dia não é sinônimo de pedir ao Chat GPT para redigir petições. A presença da IA no trabalho de um advogado pode se dar de forma muito mais assertiva. 

Pode ser através de sistemas inteligentes que compilam informações, realizam cálculos jurídicos, transcrevem e interpretam áudios, entre outros. 

Golpes digitais

Especialistas apontam que o advento da IA pode provocar um verdadeiro bum nos casos de golpes digitais no Brasil. Sejam eles envolvendo compras online, falsidade ideológica, cooptação de dados, chantagem e extorsão, etc.

E é importante que os advogados estejam preparados de forma teórica e prática para defender seus clientes quando forem vítimas desses crimes. Entender a legislação a esse respeito, acompanhar as recentes decisões e jurisprudências, além das mais novas regulamentações é fundamental.

O futuro da advocacia no Brasil: regulamentações

O ano de 2024 promete ser de muitas discussões acerca da implementação de normas e regulamentos sobre IAs. Tanto no que diz respeito a normatizações amplas e gerais, quanto o da auto regulação regulatória, que são as normatizações específicas que cada setor deve criar para uso e aplicação da IA.

O Brasil, ao lado da União Europeia, está na liderança de normas sobre IAs e está criando leis e normas gerais sobre o tema. Mas elas, provavelmente, não deverão atender e/ou amparar de forma completa e com a minúcia necessária a todos os setores. E é aí que entram as normatizações específicas.

Assim, setores que possuem órgãos regulatórios, como a medicina, advocacia, engenharia, setor bancário, que podem vir a fazer uso em escala dessas tecnologias, tendem a criar regulações e normas específicas. 

Provas forjadas

Com o advento das tecnologias multimídia na palma de todo cidadão, através de um smartphone, a justiça passou a ter um volume muito grande de fotos, vídeos e prints apresentados (e aceitos) como provas em processos.

E hoje, com a possibilidade de se criar e/ou manipular imagens e vídeos com perfeição, existe uma grande tendência de que cada vez mais os tribunais recebam provas forjadas via IA. Nesse caso, entender essas ferramentas pode ser primordial para se obter resultados em determinadas ações.

Calma… ninguém quer que você aprenda a manipular provas. Explico: será preciso entender o uso e funcionamento das IAs para questionar provas e demonstrar diferentes possibilidades de manipulação, tornando-as inválidas em todo tipo de ação.

Tempo é dinheiro

O futuro do Direito tem caminhado para estruturas mais enxutas, com menos investimento em pessoal. Basta ver a afirmação do home office das teleconferências no setor. Os advogados têm optado, cada vez mais, por trabalhar de forma autônoma, visando menos tempo de trabalho e mais qualidade de vida.

Isso requer mais produtividade com investimentos cada vez menores. Fazer mais e melhor em um menor tempo. E assim, a tendência é que a advocacia recorra cada vez mais a ferramentas tecnológicas em seu dia a dia. Uma tendência para 2024 são os transcritores de áudio. 

Áudios de clientes podem ser demorados e pouco objetivos. E isso fez emergir no mundo do Direito as ferramentas que permitem um advogado ter a transcrição daquilo que o cliente deseja, sem ter que parar cinco ou dez minutos para ouvi-lo.

Não vamos nos aprofundar muito nesse tópico porque em breve teremos aqui no blog um texto específico sobre os transcritores de áudio e como eles podem ajudar no dia a dia de um advogado.

O futuro do Direito na era digital: humanização é tendência?

E depois de destacar tanto a importância de se preparar, entender e fazer uso das tecnologias, parece incoerente dizer que uma advocacia mais humanizada é uma grande tendência do Direito em 2014. Mas é justamente aí que está a chave de tudo.

Dedicar-se a entender as ferramentas disponíveis, e investir dinheiro para tê-las, é justamente um caminho a ser percorrido para que o advogado não mais precise dedicar tanto do seu tempo em tarefas perfeitamente automatizáveis, e possa humanizar sua prática jurídica, colocando o cliente como foco. 

Isso, inclusive, é algo que a Jusfy tem como premissa: ao invés de enxergar as novas tecnologias como possíveis substitutos dos advogados, ela as cria e potencializa, adapta, para que os advogados possam ser cada vez melhores, mais rápidos e tenham mais produtividade e qualidade de vida.

Quem ganha com isso não é apenas o profissional, mas também seus clientes, que agora podem contar com um atendimento mais personalizado e humanizado. E por que isso é tendência? Porque com o advento das IAs, crescerá também seu uso equivocado, colocando os bons profissionais em evidência.

Como se preparar?

Existem algumas formas de se preparar para se valer do que é tendência no Direito em 2024. Algumas delas já foram faladas ao longo do texto, mas vamos enumerar todas elas aqui, para facilitar:

  • Busque conhecer e “dominar” as novas tecnologias, sobretudo aquelas com IA.
  • Liste um hall de ferramentas que mais podem ser úteis em escala de prioridade para começar a usar em seu escritório.
  • A advocacia está mais tecnológica e seu cliente também: comece a demarcar território na internet e a construir sua autoridade online.
  • Fique de olho nas novas regulamentações. Conhecê-las pode trazer novas oportunidades.
  • Automatize tudo que puder, como processos gerenciais, etc, e passe a focar na advocacia e no cliente.

Quase tudo que você precisa para acompanhar as tendências do Direito em 2024, você encontra na Jusfy. Que tal conhecer nossas ferramentas? Faça um teste gratuito de 7 dias e fiquei ainda mais preparado para o que está por vir.